sexta-feira, 27 de novembro de 2009

VIII Encontro de Coordenadores Pedagógicos


Aconteceu em 25 de novembro de 2009, das 8h às 12h, no auditório do NIED, o VIII encontro de formação do Projeto Expertise em Leitura e Produção de Textos. O encontro contou com a presença de 60 coordenadores pedagógicos e 8 formadores do Projeto Expertise.
No encontro criou-se uma ambiência de diálogo para tratar da avaliação da escrita de textos pela crianças, os coordenadores analisaram o resultado da avaliação final, realizada em novembro, em relação à produção escrita feita em abril, pelas mesmas crianças de CI 2o e 3o anos.
Destacaram avanços, principalmente a melhoria das produções dos alunos que estão no final do Ciclo. Mesmo as crianças que ainda não escrevem alfabeticamente já se apropriaram de elementos próprios da textualidade, contataram os CPs. Ao avaliar, consideraram as crianças mais receptivas ao ouvir e reescrever a história, o que demonstra que a prática de reescrita de textos já é uma prática nas turmas de CI.
Com base nas exposições dos CPs, apontou-se a necessidade de realizar nas HPs uma devolutiva da análise das produções dos alunos, com os professores na escola, para que constatem avanços obtidos e em que aspectos ainda podem trabalhar este ano e no próximo para que as crianças se tornem produtoras de textos.
Discutiu-se a problemática da retenção dos alunos no CI, enfatizando que o processo de aprendizagem é o foco da avaliação no Ciclo. A rigor no decorrer do Ciclo, não há retenção, destacaram as Coordenadoras do Expertise. Segundo a legislação, a avaliação deve se pautar no aproveitamento e na frequência.
Os Cps expuseram questões sobre o contexto de suas escolas em relação à retenção, destacando problemas de baixa frequência de alguns alunos, o que para eles leva a não aprendizagem e retenção. Outros enfatizaram a importância de se antecipar ao problema: cuidando da aprendizagem e intervindo junto às famílias e ao Conselho Tutelar para que as crianças frequentem regularmente a escola.
A discussão, que não se esgotou no encontro, colocou a mostra as dificuldades que a escola tem em lidar com a situação de alunos com problemas de baixa aprendizagem e frequência. Este problema deve ser tratado pela SEMEC, conjuntamente com o Conselho Municipal de Educação, recomendaram os CPs.
Foi feito estudo sobre Projetos, de uma entrevista da Délia Lerner, que consta no Compêndio dos coordenadores (p. 71-74). Recomendou-se que este estudo também seja feito na escola, na jornada pedagógica no início do ano, para fundamentar o planejamento docente de bons projetos de leitura e escrita a serem desenvolvidos no CI em 2010.
Após a avaliação escrita da formação, pelos Cps, o último encontro do Projeto em 2009 finalizou com a interpretação do texto literário: Três Velas, de Flávia Savary e a exibição do filme do Projeto, mostrando a trajetória da formação em 2009.
Na avaliação, os CPs destacaram pontos fortes da formação: "construção da aprendizagem tanto nossa quanto dos professores e alunos"; "troca de experiência, estudo, avaliação da aprendizagem e da atuação na escola com relação ao ensino-aprendizagem"; "o investimento na leitura e na escrita"; "trabalhar nossas demandas"; "momento de formação específico do coordenador"; "metodologia é o ponto forte"; "material rico em conteúdo e equipe compromissada"; "o carinho do Grupo-base aos coordenadores, tornando os encontros produtivos e agradáveis"; "a escolha do material de estudo e o compêndio"; "o retorno às inquietações dos CPs"; "olhar sempre inovador (do expertise) frente a um assunto que parece rotineiro".
Agradecemos a interlocução estabelecida em 2009 e esperamos realizar um bom trabalho em 2010.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009



Professores do CI 1o ano produzem material didático próprio.

A produção de material didático próprio pelos professores é fundamentada no estudo e orientações dadas no Projeto Expertise em Alfabetização. É muito bom chegar na sala de aula, no assessoramento, e se deparar com as práticas de alfabetização resultantes das condições didáticas criadas no espaço de formação docente, salientam as formadoras Vania e Cilene.
Os conteúdos da formação, presentes no compêndio da Expertise e estudados mensalmente nos encontros, fazem sentido para os professores, porque modificam e ampliam as possibilidades de atuação profissional com vistas ao alcance da alfabetização das crianças. Isso demonstra que os professores aplicam na sala de aula o que estudam na formação, diz a coordenadora do Programa, profa. Lorena.
Em Mosqueiro, na Escola Lauro Chaves as professoras Rosileusa e Maria da Paz organizaram material utilizando rótulos e embalagens na alfabetização. As professoras Santana e Rosângela, da Escola Ana Barreau, produziram um material didático com o alfabeto em sacos coloridos para as crianças formarem palavras em grupos. Na escola Remígio Fernandes, as professoras Ana Cristina, Alice e Ivete recriaram as fichas didáticas da sequência da Matinta com outras atividades. As professoras Nazaré, Adelaide, Vera e Angela, do Donatila Lopes, exploraram novas atividades, para serem realizadas em casa pelas crianças, com base na sequência didática da Festa Junina.
No Maroja Neto, o projeto conta com o envolvimento das professoras de informática e sala de leitura, Gelda e Hermínia, respectivamente, com atividades alfabetizadores em consonância com o que as professoras Juçara e Maria da Graça realizam em sala de aula, com acompanhamento da coordenadora Silvia. Textos na alfabetização são muito explorados pelas professoras Natalina e Ivone, no Angelus Nascimento, com apoio da coordenadora Gorete e da diretora Elaine que participam das Horas Pedagógicas na escola. Os professores Silvio, Jerci, Luzia e Leina, do Abel Martins, se unem na elaboração de propostas alfabetizadoras, avaliando regularmente o processo de alfabetização das crianças.
Como as professoras de Mosqueiro trabalharam com afinco as sequências didáticas propostas pelo Projeto Expertise, elas conseguiram reduzir o quantitativo de pré-silábicos e aumentar significativamente o quantitativo de alunos alfabéticos, em novembro.
Com esse trabalho, hoje, as sete escolas da Ilha de Mosqueiro apresentam os melhores resultados de Belém. Ao mesmo tempo fornecem pistas importantes de como alfabetizar todos os alunos de 6 anos em um ano, que é a meta do Expertise.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

3ª Mostra de Saberes SEMEC




A 3ª Mostra de saberes do ensino Fundamental e EJA realizada no último sábado 14 de novembro na Praça dos Artistas(CENTUR) foi um sucesso, isso era traduzido através da alegria e espontaneidade com que professores e alunos expuseram dramatizações, poesias, maquetes, paineis, artesanato, esculturas e pinturas, cada stande era um aprendizado.

O Centro de Formação parabeniza todas as escolas pelo êxito nas apresentações e também sente-se participe deste processo a medida em que viu presente em várias apresentações as orientações pedagógicas e sequências didáticas presentes no Projeto Expertise em Alfabetização.

Parabéns a coordenação do evento, que todo o potencial pedagógico demonstrado nas apresentações faça a diferença necessária para que todos os alunos possam aprender.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Inclusão digital


Inicia hoje no Centro de Formação de Professores o Curso de Introdução à Informática, para os funcionários de Serviços Gerais e Recepção, sobre: editor de texto e Internet, ministrado pelo Técnico de Informática Vicente Dória.
No curso irão aprender a utilizar Word como ferramenta de trabalho, explorando suas funcionalidades. "Este curso será útil para incentivar os funcionários a voltar a estudar e a se preparar para futuros concursos, visando sua promoção", diz Vicente.
O curso foi uma iniciativa da coordenação do Centro para favorecer a inclusão digital de seus funcionários. "É uma ideia que pode ser implementada nas escolas", diz a coordenadora do Centro, Profa. Lorena Trescastro

.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Expertise é tempo de aprender

Os encontros de formação a serem realizados em novembro nas escolas buscam refletir sobre o tempo de aprender do professor alfabetizador e do aluno em processo de alfabetização.

A análise dos dados da avaliação de outubro mostra um quantitativo grande de alunos na condição de silábico e silábico-alfabético. Este quadro precisa avançar para o alcance da meta: todos alfabéticos até o final do ano. Para isso a intervenção docente precisa se qualificar para que as crianças compreendam o sistema alfabético da escrita.

No encontro serão feitos relatos de práticas de alfabetização bem sucedidas, análise dos dados da avaliação de outubro, definição de metas, estudo e planejamento de semana de aula, focalizando a didática do silábico e do alfabético.

Agenda de encontros:

03.11 - Alfredo Chaves
04.11 - Donatila Lopes
05.11 - Centro de Formação de Professores
06.11 - Francisco Nunes
09.11 - República de Portugal
10.11 - Walter Leite Caminha
11.11 - Miguel Pernambuco Filho
12.11 - Maria Luiza Pinto do Amaral
13.11 - Rui da Silveira Britto