quarta-feira, 31 de março de 2010

Projeto Expertise em Alfabetização para os professores do CI 2º ano e 3º ano



De 22 a 31 de março ocorreu, no Centro de Formação de Professores da SEMEC, a formação mensal do Projeto Expertise para os professores do CI 2º ano e 3º ano. Cada professor participou de um grupo de estudos de 3 horas intensivas de pesquisa e elaboração, no horário da sua HP - Hora Pedagógica. Nos dez dias, participaram 260 professores.

O primeiro encontro iniciou com uma dinâmica de apresentação utilizando fósforo, seguida da leitura de uma poesia, como uma metáfora para refletir sobre o aproveitamento do tempo e a estratégia adequada para a aprendizagem do aluno. A intenção foi “acender a chama do conhecimento”.

Em seguida, foi solicitado aos professores que escrevessem um texto próprio sobre as dificuldades de aprendizagem dos alunos. A análise do conteúdo do escrito, pelos formadores, servirá de diagnóstico das necessidades didáticas dos professores para orientar a pauta dos conteúdos que serão estudados nos próximos encontros.

Os temas estudados pelos professores em março foram: Avaliação para a aprendizagem, Provinha Brasil, Instrumentos de avaliação em escrita e matemática, Leitura e escrita de texto e Jogos para o ensino da matemática.

Na formação, foi entregue aos professores o compêndio de textos Expertise em Alfabetização, com orientações didáticas para subsidiar o estudo nas HPs e o planejamento das aulas para melhorar a alfabetização dos alunos nas escolas municipais de Belém.

Esta é mais uma ação que o Programa ECOAR vem desenvolvendo para contribuir com o trabalho das escolas. A formação é para os professores, mas o foco principal é a alfabetização e o letramento dos alunos.

Expertise em Alfabetização CI 1º ano: estudo focado no problema


O estudo da didática da alfabetização com base nas dificuldades de aprendizagem do aluno será o principal enfoque da pauta da formação de professores do Projeto Expertise em Alfabetização do CI 1º ano, no mês de abril. Com base na análise do texto escrito pelo professor sobre as dificuldades de aprendizagem e dos resultados da avaliação da escrita do aluno, realizada em fevereiro e março, serão apontados conteúdos de ensino e metodologias que conduzem à alfabetização.
A pauta da formação será intensa, pois incluirá: leitura de texto literário (narrativa) pelo formador; estudo de ficha didática com texto e números; análise dos resultados da avaliação de fevereiro e março; estudo dos níveis da psicogênese da alfabetização; avaliação da escrita de crianças; análise de texto próprio sobre problemas de aprendizagem; levantamento estatístico da ocorrência de problemas de aprendizagem na escola; planejamento de sequência didática (semana de aula) com atividades com texto e numerais, destacando o enfrentamento dos problemas de aprendizagem.
Dentre as dificuldades de aprendizagem encontradas, será apontado o que fazer para que as crianças avancem no processo de alfabetização, por exemplo, se as crianças ainda não usam letras, o professor deve explorar o alfabeto móvel em diferentes atividades de linguagem; se as crianças não estabelecem nenhuma relação letra-som, as atividades devem propor que escreva o que fala, ou então, o professor pode explorar cantigas em atividades de leitura e escrita; se na escrita das crianças predomina o uso de vogais, ler e escrever palavras do glossário para que reconheça todas as letras do alfabeto será uma boa atividade; para as crianças que já estabelecem alguma relação letra-som, o professor deve propor atividades que ampliem o repertório de letras dos alunos, explorando letras e sílabas, a partir de palavras do texto; já para as crianças que não escrevem o nome próprio, deve-se trabalhar com o nome da criança, partes e todo. A escolha do que trabalhar com os alunos em sala de aula será feita pelo professor com base nas dificuldades de aprendizagem predominantes em sua turma. Isso norteará a elaboração do planejamento da semana de aula do professor.
Participarão da formação 268 professores e 108 coordenadores pedagógicos, divididos em 9 grupos de estudo, conforme data e local do cronograma abaixo. A meta do projeto é a alfabetização de 6714 crianças de 6 anos até junho.

Cronograma dos encontros de formação

5 de abril e 3 de maio – 8h, na E. M. República de Portugal – Formadoras: Marta Ferreira e Kátia Nina
6 de abril e 4 de maio – 8h, na E. M. Francisco Nunes – Formadoras: Ângela Pereira e Rita Bastos
7 de abril e 5 de maio – 8h, na E. M. Miguel Pernambuco Filho – Formadoras: Socorro Lima e Valéria Risuenho
7 de abril e 5 de maio – 8h, na E. M. Walter Leite Caminha – Formadoras: Socorro Cabral e Madalena
8 de abril e 6 de maio – 8h na E. M. Maria Luiza – Formadores: Isabel Santos e Mauro Domingues
8 de abril e 6 de maio – 8h na E. M. Silvio Leandro – Formadoras: Maricilda Barros e Vera Travassos
8 de abril e 6 de maio – 8h na E. M. Donatila Lopes – Formadoras Cilene Valente e Luiza Pereira
8 de abril e 7 de maio – 8h na E. M. Alfredo Chaves – Formadoras: Izafira Gregianin e Rosimar Miranda
9 de abril e 7 de maio – 8h, na E. M. Ruy da Silveira Brito – Formadores: Elienae Nascimento e Renato Pinto

Programa de Correção de Fluxo Escolar na Alfabetização



Nos dias 29 e 30 de março, ocorreu no Centro de Formação de Professores da SEMEC reunião com os diretores das escolas que iniciarão o Programa de Correção de Fluxo Escolar na Alfabetização - GEEMPA-FNDE-SEMEC. Na reunião foram dadas, pela coordenadora municipal do Programa, profa. Lorena Trescastro, orientações sobre o andamento da ação nas escolas e distribuído o kit do material didático do aluno e de estudo do professor.

Para a implantação do Programa, as turmas devem ser formadas com 25 alunos que avançaram no Ciclo porém não estão ainda alfabetizados. A professora que assumirá a turma foi formada na tecnologia de alfabetização do GEEMPA em fevereiro. Os alunos terão aulas, no contraturno do horário habitual de aulas, durante três meses, três dias na semana (segunda, quarta e sexta-feiras), com três horas de atividades pedagógicas. A terça-feira será dedicada ao planejamento e elaboração de fichas didáticas pela professora e na quinta-feira ela se reunirá em grupo de estudos sobre a metodologia de alfabetização.

Inicialmente os alunos serão avaliados, mediante realização de aula entrevista, para verificar o nível de conceitualização da alfabetização em que os alunos se encontram, essa mesma avaliação será aplicada, pelas professoras, ao final de abril para comparar com a avaliação anterior e verificar os avanços obtidos. Os resultados da aula entrevista, as dificuldades de aprendizagem dos alunos e as didáticas de alfabetização serão estudados na Assessoria que o GEEMPA realizará nos dias 3 e 4 de maio.

A meta da primeira fase do Programa é alfabetizar 1.250 alunos até 30 de junho.

Escolas que iniciam em 05 de abril o Programa de Correção de Fluxo - 1a fase:
Amância Pantoja; Edson Luís; Ernestina Rodrigues; Francisco Nunes;
Alzira Pernambuco; Comandante Klautau; Ida Oliveira; Maria Luiza Pinto do Amaral;
Palmira Gabriel; Maria Stellina Valmont; Parque Amazônia; Solerno Moreira;
Augusto Meira; Cordolina Fontelles de Lima; Florestan Fernandes; Gabriel Lage;
Maria Amoras de Oliveira; Walter Leite, Silvio Nascimento;
Alfredo Chaves; Liceu do Paracuri; Madalena Raad;
Donatila Lopes; Maroja Neto, República de Portugal; Terezinha Souza;
Ciro das Chagas Pimenta; Paulo Freire; Maria Heloisa de Castro; Silvio Leandro.

sábado, 20 de março de 2010

Expertise em alfabetização CI 2o e 3o ano

Expertise CI 2o ano - 22 a 25 março, no Centro de Formação de Professores

Segunda-feira 22 de março inicia a formação mensal para os professores de CI 2o ano, no Centro de Formação de Professores (Alameda Dona Maria Leopoldina, 167 - próximo a SEMEC), e segue durante a semana terça-feira (23), quarta-feira (24) e quinta-feira (25).
Nestes quatro dias, serão formados grupos de estudos nos três turnos das 7h30 às 11h; das 11h30 às 15h; das 15h30 às 19h. A pauta da formação se repetirá todos os dias e horários.
Os professores de CI 2o ano devem vir, apenas, no dia e no horário da sua Hora Pedagógica.
Os temas do primeiro encontro serão: Avaliação para a aprendizagem, Provinha Brasil, Instrumentos de avaliação em escrita e matemática, Leitura e escrita de texto, Jogos para o ensino da matemática.

Expertise CI 3o ano - 25 a 31 março, no Centro de Formação de Professores

Nos dias 25 março (quinta-feira), 29 (segunda-feira), 30 (terça-feira) e 31 (quarta-feira) será a formação mensal para os professores de CI 3o ano. Do mesmo modo, haverá grupos de estudos nos três turnos das 7h30 às 11h; das 11h30 às 15h; das 15h30 às 19h. Os professores de CI 3o ano devem vir no horário da Hora Pedagógica.
A pauta do encontro será: Avaliação para a aprendizagem, Instrumentos de avaliação em escrita e matemática, Leitura e escrita de texto, Jogos para o ensino da matemática.
No primeiro encontro de formação será entregue aos professores o Compêndio de textos Expertise em Alfabetização, com orientações didáticas para subsidiar o planejamento das aulas e melhorar a alfabetização nas escolas municipais de Belém.
Esta é mais uma ação que o Programa ECOAR desenvolverá nas escolas. A formação é para os professores, mas o foco principal é a aprendizagem dos alunos.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Provinha Brasil

Formação de professores de CI 2º ano

Começou a chegar no Centro de Formação de Professores da SEMEC o material da Provinha Brasil, enviado pelo Ministério da Educação (MEC), composto pelo Caderno do Aluno, Caderno do Professor, Guia de Aplicação, Passo a passo, Guia de Correção e Reflexões práticas.
Conforme site do MEC, “a Provinha Brasil é uma avaliação diagnóstica aplicada aos alunos matriculados no segundo ano do ensino fundamental. A intenção é oferecer aos professores e gestores escolares um instrumento que permita acompanhar, avaliar e melhorar a qualidade da alfabetização e do letramento inicial oferecidos às crianças. A partir das informações obtidas pela avaliação, os professores têm condições de verificar as habilidades e deficiências dos estudantes e interferir positivamente no processo de alfabetização, para que todas as crianças saibam ler e escrever até os oito anos de idade, uma das metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE)”. Para saber mais acesse: http://portal.mec.gov.br.
De 15 a 19 de março de 2010 será encaminhada às escolas a Provinha Brasil, referente ao primeiro semestre de 2010, a ser aplicada em turmas de CI 2º ano, no período de 05 a 09 de abril, cujos resultados devem ser sistematizados em relatório próprio. O referido relatório, juntamente com a ficha de correção, deve ser encaminhado ao Centro de Formação de Professores até 16 de abril de 2010.
A análise dos resultados da Provinha Brasil 2009 e 2010 será conteúdo da formação de professores de CI 2º ano a ser realizada no Centro de Formação de Professores, com início previsto para 22 de março.
Os professores integrarão grupos de estudo da Expertise 2º ano no dia e horário da Hora Pedagógica. O estudo dos dados da avaliação das crianças, na Provinha Brasil, servirá de base para elaboração de proposta pedagógica para o ensino da leitura e da escrita em sala de aula.

terça-feira, 9 de março de 2010

Tecnologia de correção de fluxo


Belém sediou, de 23 a 27 de fevereiro de 2010, na Faculdade Ipiranga, o Curso do Programa de Correção de Fluxo Escolar na Alfabetização GEEMPA/FNDE/SEMEC, com programação intensiva, sob orientação da Profa. Dra. Esther Pillar Grossi, para formação de professores na tecnologia de alfabetização do GEEMPA - Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação, com sede em Porto Alegre – RS (saiba mais em: www.geempa.org.br). O foco da tecnologia é alfabetização em 3 meses.

Além de Belém, com 157 participantes, participaram do Curso professores de outros municípios paraenses: Anajás (15), Bagre (09), Garrafão do Norte (04), Inhangapi (04), Moju (12), Nova Esperança do Piriá (02), São Franscisco do Pará (03), São Sebastião da Boa Vista (05), Santarém Novo (04), Soure (05), Tucuruí (11). O curso contou com a participação de 231 professores. Esses professores atuarão nas turmas do Programa nas escolas municipais.

Para estudar aula entrevista, houve momentos em que o curso contou com a participação de 125 alunos de CI 1o. ano das escolas municipais de Belém: Ernestina Rodrigues, Rui Brito, U. P. Bom Jardim, U.P. São Franscisco de Assis.

O programa visa reintegrar alunos nos níveis de aprendizagem que lhes correspondem no sistema escolar. Os alunos permanecem frequentando as aulas de suas turmas regulares, mas passam a integrar, durante três meses, uma nova turma com 25 alunos que estão no mesmo nível de conhecimentos, isto é, com um núcleo comum de competências. Esta nova turma tem três aulas semanais com a duração de três horas no turno inverso ao de sua classe regular. Os responsáveis por elas devem realizar em cada semana uma reunião de estudos sobre a metodologia em uso e num quinto dia de cada semana fazer o preparo de fichas e de materiais didáticos próprios para seus alunos.

A tecnologia do Geempa implica em uma renovação metodológica profunda. Ela trabalha com um novo paradigma e requer atualização de parte dos professores, sobre os quais recai a principal responsabilidade do êxito do programa. Eles devem ser apoiados pelos supervisores, orientadores, coordenadores que também foram convocados a se formarem nesta metodologia.

O objetivo da tecnologia consiste em acertar o passo das aprendizagens escolares a partir do seu limiar fundamental, que é a aquisição da leitura e da escrita de um texto.