terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Boas Festas!




FELIZ NATAL E UM 2010 CHEIO DE APRENDIZAGENS.

É o que desejam os formadores do Programa ECOAR.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Provinha Brasil

A Provinha Brasil, enviada pelo Ministério da Educação-MEC, a ser aplicada em turmas de CI 2o ano, já chegou na SEMEC - Secretaria Municipal de Belém e começou a ser distribuída às escolas.
O material encaminhado à escola deve ser estudado por professores e coordenadores pedagógicos para a aplicação das provas. A prova deverá ser aplicada, preferentemente, nas mesmas crianças que fizeram a 1a. avaliação.
Após a correção das questões, deverá ser preenchida planilha com a sistematização dos dados.
Esta planilha deve ser entregue até 17 de dezembro, para os formadores do ECOAR ou no Centro de Formação de Professores.

Programa de Correção de Fluxo Escolar

A SEMEC (Secretaria Municipal de Educação) aderiu ao Programa de Correção de Fluxo, política nacional do MEC (Ministério da Educação), a ser realizada em 2010. O anúncio foi feito na reunião de diretores, em 01 de dezembro de 2009.
A correção de fluxo destina-se a alunos da rede municipal, que mesmo sem saber ler nem escrever frequentam turmas de CII, CIII, CIV, além dos que estão matriculados no CI a três anos mas não se alfabetizaram. Estes alunos continuam matriculados regularmente, mas passam a frequentar no contraturno, durante três meses uma turma específica de alfabetização.
O Programa consiste em cursos de formação de professores alfabetizadores, aulas no contraturno escolar três dias da semana no decorrer de três meses, material didático adequado. A primeira etapa iniciará em fevereiro a abril, o curso para os professores está previsto para 18 a 22 de janeiro e será ministrado pelo GEEMPA-Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação, com sede em Porto Alegre-RS .
O professor que assumir a turma de correção de fluxo será remunerado pela SEMEC (100h), durante 3 meses. Este terá que participar do curso de formação.
Trata-se da operacionalização de uma medida que é absolutamente indispensável em âmbito nacional, face ao equívoco de promoção de alunos sem os pré-requisitos de enturmação na estrutura escolar, baseada na frequência e não na aprendizagem, decorrente do entendimento equivocado da LDB.

Para aderir ao Programa a escola deve: identificar os alunos que frequentarão a turma de Correção de Fluxo (incluir alunos da escola e UPs); indicar professor para assumir a turma; prover local para funcionamento da turma. Para isso, as escolas devem entregar a planilha, distribuída na reunião de diretores, no Centro de Formação de Professores ou na reunião de diretores até 15 de dezembro.
Mais informações sobre o Programa: www.geempa.org.br

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

VIII Encontro de Coordenadores Pedagógicos


Aconteceu em 25 de novembro de 2009, das 8h às 12h, no auditório do NIED, o VIII encontro de formação do Projeto Expertise em Leitura e Produção de Textos. O encontro contou com a presença de 60 coordenadores pedagógicos e 8 formadores do Projeto Expertise.
No encontro criou-se uma ambiência de diálogo para tratar da avaliação da escrita de textos pela crianças, os coordenadores analisaram o resultado da avaliação final, realizada em novembro, em relação à produção escrita feita em abril, pelas mesmas crianças de CI 2o e 3o anos.
Destacaram avanços, principalmente a melhoria das produções dos alunos que estão no final do Ciclo. Mesmo as crianças que ainda não escrevem alfabeticamente já se apropriaram de elementos próprios da textualidade, contataram os CPs. Ao avaliar, consideraram as crianças mais receptivas ao ouvir e reescrever a história, o que demonstra que a prática de reescrita de textos já é uma prática nas turmas de CI.
Com base nas exposições dos CPs, apontou-se a necessidade de realizar nas HPs uma devolutiva da análise das produções dos alunos, com os professores na escola, para que constatem avanços obtidos e em que aspectos ainda podem trabalhar este ano e no próximo para que as crianças se tornem produtoras de textos.
Discutiu-se a problemática da retenção dos alunos no CI, enfatizando que o processo de aprendizagem é o foco da avaliação no Ciclo. A rigor no decorrer do Ciclo, não há retenção, destacaram as Coordenadoras do Expertise. Segundo a legislação, a avaliação deve se pautar no aproveitamento e na frequência.
Os Cps expuseram questões sobre o contexto de suas escolas em relação à retenção, destacando problemas de baixa frequência de alguns alunos, o que para eles leva a não aprendizagem e retenção. Outros enfatizaram a importância de se antecipar ao problema: cuidando da aprendizagem e intervindo junto às famílias e ao Conselho Tutelar para que as crianças frequentem regularmente a escola.
A discussão, que não se esgotou no encontro, colocou a mostra as dificuldades que a escola tem em lidar com a situação de alunos com problemas de baixa aprendizagem e frequência. Este problema deve ser tratado pela SEMEC, conjuntamente com o Conselho Municipal de Educação, recomendaram os CPs.
Foi feito estudo sobre Projetos, de uma entrevista da Délia Lerner, que consta no Compêndio dos coordenadores (p. 71-74). Recomendou-se que este estudo também seja feito na escola, na jornada pedagógica no início do ano, para fundamentar o planejamento docente de bons projetos de leitura e escrita a serem desenvolvidos no CI em 2010.
Após a avaliação escrita da formação, pelos Cps, o último encontro do Projeto em 2009 finalizou com a interpretação do texto literário: Três Velas, de Flávia Savary e a exibição do filme do Projeto, mostrando a trajetória da formação em 2009.
Na avaliação, os CPs destacaram pontos fortes da formação: "construção da aprendizagem tanto nossa quanto dos professores e alunos"; "troca de experiência, estudo, avaliação da aprendizagem e da atuação na escola com relação ao ensino-aprendizagem"; "o investimento na leitura e na escrita"; "trabalhar nossas demandas"; "momento de formação específico do coordenador"; "metodologia é o ponto forte"; "material rico em conteúdo e equipe compromissada"; "o carinho do Grupo-base aos coordenadores, tornando os encontros produtivos e agradáveis"; "a escolha do material de estudo e o compêndio"; "o retorno às inquietações dos CPs"; "olhar sempre inovador (do expertise) frente a um assunto que parece rotineiro".
Agradecemos a interlocução estabelecida em 2009 e esperamos realizar um bom trabalho em 2010.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009



Professores do CI 1o ano produzem material didático próprio.

A produção de material didático próprio pelos professores é fundamentada no estudo e orientações dadas no Projeto Expertise em Alfabetização. É muito bom chegar na sala de aula, no assessoramento, e se deparar com as práticas de alfabetização resultantes das condições didáticas criadas no espaço de formação docente, salientam as formadoras Vania e Cilene.
Os conteúdos da formação, presentes no compêndio da Expertise e estudados mensalmente nos encontros, fazem sentido para os professores, porque modificam e ampliam as possibilidades de atuação profissional com vistas ao alcance da alfabetização das crianças. Isso demonstra que os professores aplicam na sala de aula o que estudam na formação, diz a coordenadora do Programa, profa. Lorena.
Em Mosqueiro, na Escola Lauro Chaves as professoras Rosileusa e Maria da Paz organizaram material utilizando rótulos e embalagens na alfabetização. As professoras Santana e Rosângela, da Escola Ana Barreau, produziram um material didático com o alfabeto em sacos coloridos para as crianças formarem palavras em grupos. Na escola Remígio Fernandes, as professoras Ana Cristina, Alice e Ivete recriaram as fichas didáticas da sequência da Matinta com outras atividades. As professoras Nazaré, Adelaide, Vera e Angela, do Donatila Lopes, exploraram novas atividades, para serem realizadas em casa pelas crianças, com base na sequência didática da Festa Junina.
No Maroja Neto, o projeto conta com o envolvimento das professoras de informática e sala de leitura, Gelda e Hermínia, respectivamente, com atividades alfabetizadores em consonância com o que as professoras Juçara e Maria da Graça realizam em sala de aula, com acompanhamento da coordenadora Silvia. Textos na alfabetização são muito explorados pelas professoras Natalina e Ivone, no Angelus Nascimento, com apoio da coordenadora Gorete e da diretora Elaine que participam das Horas Pedagógicas na escola. Os professores Silvio, Jerci, Luzia e Leina, do Abel Martins, se unem na elaboração de propostas alfabetizadoras, avaliando regularmente o processo de alfabetização das crianças.
Como as professoras de Mosqueiro trabalharam com afinco as sequências didáticas propostas pelo Projeto Expertise, elas conseguiram reduzir o quantitativo de pré-silábicos e aumentar significativamente o quantitativo de alunos alfabéticos, em novembro.
Com esse trabalho, hoje, as sete escolas da Ilha de Mosqueiro apresentam os melhores resultados de Belém. Ao mesmo tempo fornecem pistas importantes de como alfabetizar todos os alunos de 6 anos em um ano, que é a meta do Expertise.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

3ª Mostra de Saberes SEMEC




A 3ª Mostra de saberes do ensino Fundamental e EJA realizada no último sábado 14 de novembro na Praça dos Artistas(CENTUR) foi um sucesso, isso era traduzido através da alegria e espontaneidade com que professores e alunos expuseram dramatizações, poesias, maquetes, paineis, artesanato, esculturas e pinturas, cada stande era um aprendizado.

O Centro de Formação parabeniza todas as escolas pelo êxito nas apresentações e também sente-se participe deste processo a medida em que viu presente em várias apresentações as orientações pedagógicas e sequências didáticas presentes no Projeto Expertise em Alfabetização.

Parabéns a coordenação do evento, que todo o potencial pedagógico demonstrado nas apresentações faça a diferença necessária para que todos os alunos possam aprender.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Inclusão digital


Inicia hoje no Centro de Formação de Professores o Curso de Introdução à Informática, para os funcionários de Serviços Gerais e Recepção, sobre: editor de texto e Internet, ministrado pelo Técnico de Informática Vicente Dória.
No curso irão aprender a utilizar Word como ferramenta de trabalho, explorando suas funcionalidades. "Este curso será útil para incentivar os funcionários a voltar a estudar e a se preparar para futuros concursos, visando sua promoção", diz Vicente.
O curso foi uma iniciativa da coordenação do Centro para favorecer a inclusão digital de seus funcionários. "É uma ideia que pode ser implementada nas escolas", diz a coordenadora do Centro, Profa. Lorena Trescastro

.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Expertise é tempo de aprender

Os encontros de formação a serem realizados em novembro nas escolas buscam refletir sobre o tempo de aprender do professor alfabetizador e do aluno em processo de alfabetização.

A análise dos dados da avaliação de outubro mostra um quantitativo grande de alunos na condição de silábico e silábico-alfabético. Este quadro precisa avançar para o alcance da meta: todos alfabéticos até o final do ano. Para isso a intervenção docente precisa se qualificar para que as crianças compreendam o sistema alfabético da escrita.

No encontro serão feitos relatos de práticas de alfabetização bem sucedidas, análise dos dados da avaliação de outubro, definição de metas, estudo e planejamento de semana de aula, focalizando a didática do silábico e do alfabético.

Agenda de encontros:

03.11 - Alfredo Chaves
04.11 - Donatila Lopes
05.11 - Centro de Formação de Professores
06.11 - Francisco Nunes
09.11 - República de Portugal
10.11 - Walter Leite Caminha
11.11 - Miguel Pernambuco Filho
12.11 - Maria Luiza Pinto do Amaral
13.11 - Rui da Silveira Britto

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Lançamento do compêndio dos coordenadores



O VII encontro de formação do Projeto Expertise em Leitura e Produção de Textos: formação de formadores realizado hoje, no auditório do NIED, contou com a participação de 60 coordenadores pedagógicos das escolas municipais de Belém. No encontro foi feito estudo sobre práticas de avaliação e revisão de textos, evidenciando a atuação de professores e coordenadores para o alcance da aprendizagem do aluno.

Com a presença da Secretária Municipal de Educação, Profa.Therezinha Moraes Gueiros, foi lançado o compêndio do Projeto que reúne uma coletânea de textos para serem estudados pelos coordenadores em encontros mensais de formação continuada. Além de textos literários, o compêndio traz quinze textos de estudo. Eles tratam sobre formação de professores, conteúdos da alfabetização, concepções da criança sobre a escrita, práticas de leitura, produção de textos, projetos, revisão de textos e avaliação do texto da criança.

Estes textos trazem contribuições para que o coordenador atue como formador de professores e organize pautas de estudo nas Horas Pedagógicas, sobre o processo de ensino-aprendizagem de leitura e escrita e acompanhe o trabalho docente desenvolvido na escola, em turmas de Ciclo I, correspondente aos três primeiros anos do Ensino Fundamental de 9 anos.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Parabéns Professores!






video

O Centro de Formação de Professores da SEMEC reuniu, em sua nova sede, em outubro, os professores do Projeto Expertise em Alfabetização para participarem do Circuito de Aprendizagem e do Lançamento do Compêndio da Expertise.

O encontro, em homenagem ao dia do professor, iniciou com ginástica laboral, em seguida os professores foram convidados a participar do Circuito de Aprendizagem, nos espaços: laboratório de informática, biblioteca e sala de jogos, sob orientação dos formadores do Grupo-base.
Com os computadores, tiveram acesso ao blog da expertise, site do MEC e Plataforma Freire. Quem não tinha E-mail, pode criá-lo. Durante a atividade de leitura, exploraram o acervo concedido pelo Prêmio Além das Letras em 2008 ao Programa ECOAR. Na sala de jogos participaram de atividades de alfabetização e matemática.

Terminado o Circuito, os professores assistiram ao vídeo sobre o andamento do Projeto Expertise e receberam o Compêndio, após a leitura da apresentação da Secretária Municipal de Educação, Profa. Therezinha Moraes Gueiros, pela coordenadora do Programa Ecoar, Profa. Lorena Trescastro.
No final, também foram sorteados livros literários, concedidos pelo Sismube, e confraternizado com um brunch. Esta programação foi uma homenagem aos alfabetizadores das escolas públicas municipais de Belém pela passagem do dia do professor.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Vale a pena assistir


O anjo azul
Adeus, Mr. Chips
Ao mestre com carinho
Conrack
Um diretor contra todos
Nenhum a menos
O sorriso de Monalisa
Sociedade dos poetas mortos
Clube do imperador
O preço do desafio
O céu de outubro
Meu nome é Rádio
Mr. Holland – Adorável professor

O que estes filmes têm em comum?
São lindos em seu conteúdo. Todos eles têm como personagem um professor.
Neste mês de outubro, assista a, pelo menos, um deles com seus colegas na escola.

Feliz dia do professor!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Feliz Círio!


Hoje pela manhã soaram os sinos da Basílica anunciado a presença de Nossa Senhora e emocionando a todos que corriam para vê-la.

Que este espírito de alegria, amor e fé nos una, fortalecendo o que temos de melhor.

Formadores do ECOAR

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Formação de Coordenadores Pedagógicos

VI encontro do Projeto Expertise em Leitura e Produção de Textos

O VI encontro mensal de formação do Projeto Expertise em Leitura e Produção de Textos reuniu, no dia 23 de setembro, no auditório do NIED, das 8h às 12h, 70 coordenadores pedagógicos das escolas municipais de Belém.

Foram temas do encontro: os critérios de avaliação de textos produzidos pelas crianças do CI (3 primeiros anos do ensino fundamental) e orientações didáticas sobre revisão de textos.

No encontro também foi lançado o blog do Programa ECOAR, espaço de interlocução com os coordenadores e professores do CI sobre os Projetos Expertise em Alfabetização e Expertise em Leitura e Produção de Textos em andamento.

Os encontros de formação com os coordenadores acontecem mensalmente, desde abril. Nos encontros são dadas orientações para elaboração de pautas pelos coordenadores a serem desenvolvidas nas HPs – Horas Pedagógicas com os professores nas escolas.

Próximo encontro será em 21 outubro (quarta-feira) no auditório do NIED

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Momentos da aprendizagem

TEMPO DE APRENDER

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES - ECOAR

O Programa ECOAR - Elaborando Conhecimento para Aprender a Reconstruí-lo - da SEMEC - Secretaria Municipal de Educação de Belém-, iniciado em 2005, compreende três ações: formação de professores e coordenadores pedagógicos, assessoramento da prática docente nas escolas e avaliação da aprendizagem dos alunos, mais precisamente os alunos de CI (3 primeiros anos do Ensino Fundamental de 9 anos). O foco principal do Programa é a aprendizagem do aluno.

Este programa consiste no direito do professor estudar, como parte indispensável de seu desempenho e durante os 200 dias letivos. Estudar não significa apenas participar de eventos. Significa substancialmente descontruir e reconstruir sistematicamente a trajetória formativa e profissional (DEMO, 2005), utilizando como metodologias de aprendizagem: pesquisa, elaboração própria, relato de experiências, reflexão sobre a própria prática, problematização, exercício de argumentação e contra-argumentação, debates, leitura sistemática e verticalizada, dinâmicas, simulação e análise da prática de sala de aula, produção de material didático próprio, estudo em equipe e individualmente.

A formação de professores e coordenadores acontece em serviço, utilizando as horas pedagógicas, com encontros mensais de aprendizagem, realizados no espaço da escola e mediante o desenvolvimento das ações dos Projetos Expertise em Alfabetização e Expertise em Leitura e Produção de Textos.

PROJETO EXPERTISE EM ALFABETIZAÇÃO

Objetivo
Formar professores capazes de alfabetizar os alunos em um ano.

Meta
Alfabetizar 100% dos alunos de CI 1º ano (6anos).

Público-alvo
Coordenadores pedagógicos, professores e alunos do CI 1º.ano.

Estratégias da formação
Avaliação da aprendizagem
Planejamento Problematização da prática Didática da alfabetização

Eixos da ação
Alfabetização de crianças em um ano Didática que leve à aprendizagem Avaliação mensal dos níveis de alfabetização Avaliação como suporte para a intervenção no processo de aprendizagem da leitura e da escrita.

Ações do projeto
Assessoramento às escolas com acompanhamento sistemático do trabalho docente, avaliação da aprendizagem do aluno, mensalmente, orientação da prática pedagógica, estudo na hora pedagógica, atividades específicas nas salas de aula e encontros mensais de formação (4h).

Cronograma de ações
4 horas mensais para os Encontros de Formação, coordenados pelo Grupo-base, para coordenadores e professores.
4 horas quinzenais para estudo, produção de material didático e planejamento de sequências didáticas pelos professores.
4 horas mensais para sistematização e análise dos resultados da avaliação da criança pelos professores.

Conteúdos da formação
Janeiro
Contrato didático
Avaliação da aprendizagem

Fevereiro
Intervenção didática: nome do aluno
Leitura pelo professor
Planejamento: semana de aula
Sequência didática
Função da avaliação

Março
Psicogênese da escrita
Didática da alfabetização: pré-silábico
Intervenção didática: alfabeto
Escrita pelo professor
Instrumentos de avaliação

Abril
Didática da alfabetização: pré-silábico e silábico
Intervenção didática: jogo de letras e números
Análise da semana de aula: sequência didática
Organização do tempo de aula e da semana de trabalho
Análise dos resultados da avaliação

Maio
Didática da alfabetização: silábico e silábico-alfabético
Análise da semana de aula: material didático
Condições didáticas favoráveis à alfabetização
Conceito de número: base 10

Junho
Análise dos resultados da avaliação
Didática do pré-silábico, silábico, sil.alfabético e alfabético
Análise das produções do aluno
Intervenção didática: produção de texto

Agosto
Avaliação da escrita da criança
Planejamento de sequência didática
Organização do tempo de aprendizagem
Atividades didáticas: leitura, escrita e matemática

Setembro
Produção de texto pela criança
Avaliação da produção escrita (texto) da criança
Critérios da avaliação do texto
Planejamento de sequência didática

Outubro
Avaliação da aprendizagem
Psicogênese da escrita
Produção de textos
Conhecimento matemático

Novembro
Análise dos resultados da avaliação da aprendizagem
Planejamento de sequência didática
Atividades didáticas: leitura, escrita e matemática

Formação do Formador

PROJETO EXPERTISE EM LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS

Objetivos
Formar coordenadores capazes de orientar a prática docente para o ensino-aprendizagem de leitura e produção de texto em turmas de Ciclo I (2º e 3º ano).
Orientar o processo de avaliação e a acompanhamento da aprendizagem da crianças.
Fornecer condições para que o coordenador organize o cronograma e a pauta dos encontros com os professores na escola (HPs semanais).
Realizar momentos de estudo a fim de ampliar os fundamentos teóricos-práticos dos coordenadores sobre o uso de textos na alfabetização.
Estudar estratégias de formação de professores para orientar a leitura e a produção de textos de crianças, utilizando diferentes gêneros textuais.

Meta
Ao final do projeto, em novembro, 80% das crianças de CI 2º ano e 100% das crianças de CI 3º ano deverão produzir textos, com caracterÍsticas de textos escritos, conforme critérios da avaliação textual estudados no projeto.

Público-alvo
Coordenadores das escolas que orientam a prática de professores de CI 2º e 3º ano.

Estratégias da formação
Apresentação da proposta para os coordenadores;
Planejamento coletivo das pautas de formação a serem realizadas pelo coordenador pedagógico com os professores de sua escola;
Observação e intervenção nas ações formativas realizadas pelos coordenadores pedagógicos;
Análise de sequências didáticas e materiais didáticos, usados pelos professores;
Estudo de texto específico sobre o tema em questão;
Registro do processo de formação.

Avaliação
Diagnóstico inicial (abril) e final (novembro) da reescrita do aluno de um texto lido. Levantamento das necessidades pedagógicas dos professores.
Registro reflexivo, por escrito, do percurso de aprendizagem dos sujeitos envolvidos.

Conteúdos da formação
Março
Competências do formador
Avaliação da escrita (texto)
Critérios da avaliação

Abril
Organização do trabalho pedagógico do professor
Projeto de pauta de formação

Maio
Práticas de leitura
Leitura feita pelo professor

Junho
Práticas de escrita
Análise de semana de aula

Agosto
Alfabetização e contextos letrados
Conteúdos da alfabetização

Setembro
Elementos da textualidade
Revisão de textos

Outubro
Ensinando ortografia
nálise da escrita da criança

Novembro
Projetos de leitura e escrita
Avaliação da formação

Abrangência do projeto
Participarão do projeto os coordenadores pedagógicos que atuam com turmas de CI 2º e 3º anos de todas as escolas. No primeiro encontro de formação foram fornecidas as orientações para a avaliação da escrita da criança. As escolas participantes do projeto são as que trouxerem o resultado da avaliação em abril e participarem de 80% dos encontros de formação.

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

É realizada anualmente em outubro, desde 2005, uma avaliação amostral da aprendizagem dos alunos de CI (1o e 3o anos). Esta avaliação consiste em uma prova com questões sobre conhecimentos de escrita e conhecimento lógico matemático.
Os procedimentos da avaliação (escolas avaliadas, delineamento amostral, instrumento utilizado, procedimentos de aplicação e critérios de correção), que serão realizados em 2009, são os mesmos utilizados em 2006, 2007 e 2008.
Sendo que em 2009, será avaliada, no CI 3º. ano, a mesma população avaliada em 2007, quando estava no CI 1º. ano. Dentre outras análises, a comparação dos resultados obtidos em 2007 e 2009 permitirá visualizar avanços ocorridos no decorrer do Ciclo Inicial. O período previsto de realização da avaliação será de 5 a 30 de outubro de 2009. A avaliação é conduzida de acordo com o planejamento delineado pela equipe do Centro de Formação de Professores da SEMEC. Os avaliadores recebem treinamento para a execução correta da aplicação dos testes a fim de que a amostra não venha a ser comprometida. Para definir a amostra, utiliza-se critérios estatísticos, levando em consideração a quantidade de alunos do 1º e 3º anos do CI de cada escola e unidades pedagógicas. A amostra é extraída de forma estratificada, dando aos resultados 95% de confiabilidade, com erro admitido de 2%, ficando definida em 2.305 alunos em 2009.